Mais de 1.400 cidades americanas perderam jornais locais nos últimos 15 anos

Os jornais locais americanos correm risco de extinção. Mais de 1.400 cidades do país perderam algum periódico nos últimos 15 anos, segundo dados de um levantamento feito pela agência de notícias Associated Press compilados pela Universidade da Carolina do Norte.

Queda na receita devido à concorrência com veículos digitais, cortes de custos, diminuição na qualidade e desinteresse dos leitores estão entre as principais causas da morte dos pequenos jornais.
Agora, centenas de cidades estão sem repórteres para cobrir temas de interesse local.

Cinco das 10 maiores empresas proprietárias de jornais locais pertencem a grupos de investidores que possuem outros negócios não relacionados a jornalismo, segundo Penelope Muse Abernathy, pesquisadora de tendências na indústria de notícias e professora na Universidade da Carolina do Norte.

A GateHouse Media é a maior dessas empresas e, segundo críticos da companhia, a estratégia adotada por ela e outras gigantes do setor é a de fazer cortes de custos agressivos sem que investimentos sejam feitos nas Redações.

A circulação de jornais nos Estados Unidos tem caído a cada ano pelas últimas três décadas, de acordo com dados do Pew Research Center (centro de pesquisas Pew). A receita com publicidade também teve queda desde 2006.

Ainda de acordo com o centro de pesquisas, o número de repórteres, editores, fotógrafos e outros funcionários de Redações caiu cerca de 45% nos EUA entre os anos de 2004 e 2017.

Mas há boas notícias. Enquanto alguns jornais fecham suas portas e deixam comunidades sem serviços de notícias locais, outros sobrevivem implementando planos de negócios criativos.
É o caso do centenário The Pilot, jornal sediado na pequena cidade de Moore, na Carolina do Norte. Os donos do periódico sustentam suas operações com negócios paralelos, como uma produtora de vídeo e uma livraria.

A filantropia é outra maneira de manter os negócios funcionando. O American Journalism Project (projeto de jornalismo americano), é um exemplo. Voltado para financiamento de veículos de notícias regionais, a organização anunciou em fevereiro deste ano que vai usar US$ 42 milhões para revigorar o jornalismo local.