Podcast aborda bastidores do jornalismo e aproxima estudantes da rotina da profissão

O podcast Vida de Jornalista, que tem episódios inéditos lançados gratuitamente toda semana, traz em cada capítulo uma conversa com um jornalista de destaque sobre o seu trabalho, buscando aproximar o público, composto principalmente por estudantes de comunicação, dos bastidores das notícias e da rotina da profissão.

Criado, editado e apresentado pelo jornalista Rodrigo Alves, comentarista de basquete do SporTV, o programa conta com 18 episódios disponíveis até o momento.

A ideia para as entrevistas com os jornalistas, diz Alves, surgiu durante a cobertura das Olimpíadas de 2012 em Londres, quando ele conheceu Dorrit Harazim, uma de suas referências profissionais, e quis entender o seu método de trabalho. “O melhor texto do Brasil estava sendo escrito ali, no computador ao lado do meu. Foi um estalo, na hora fiquei curioso para saber como ela escreve”, conta.

Dorrit, que trabalhou em publicações como Veja, Jornal do Brasil e piauí, escreve atualmente no jornal O Globo.

O lançamento do programa, no entanto, aconteceu apenas em agosto deste ano. “Fiquei em dúvida se não estava descolado da realidade, lançando um podcast sobre jornalismo em um momento em que o mercado está muito mal. Mas talvez o jornalismo nunca tenha sido tão necessário como hoje, em meio aos ataques e ao descrédito da imprensa”, diz Alves.

Bernardo Mello Franco, do jornal O Globo, Sergio Peçanha, editor gráfico do New York Times, José Roberto de Toledo, da piauí, e Nilson Klava, da GloboNews, são alguns dos convidados do programa, em episódios que abordam a relação entre política e jornalismo, o dia-a-dia da profissão e os novos formatos de produtos jornalísticos, entre outros assuntos.

Renata Lo Prete, apresentadora do Jornal da Globo, também é uma das entrevistadas. Um dos tópicos abordados em seu episódio é o bastidor do furo de reportagem que revelou o escândalo do mensalão em 2005, quando a jornalista era editora da coluna Painel da Folha.

O capítulo mais recente é o primeiro a trazer uma conversa com uma jornalista internacional, a ex-obituarista do New York Times Margalit Fox. Ela comenta sua trajetória de 14 anos na posição e as lições que aprendeu ao escrever mais de 1,4 mil obituários para o veículo, até anunciar sua aposentadoria em junho de 2018.

Sobre a complexidade de entrevistar alguém que acaba de perder uma pessoa querida, Fox diz que o trabalho se compara, de alguma forma, ao de um analista ou médico, de se fazer uma figura compreensiva com quem a família se sinta à vontade para falar. “Mas, assim como o analista, precisamos manter uma certa distância profissional e deixar claro que estamos fazendo o trabalho de um jornalista. É uma dança delicada, todas as vezes.”

Aos estudantes, Fox oferece alguns conselhos para a carreira. “Temos uma frase que é sempre ensinada a jornalistas americanos: o papel do jornalismo é confortar os aflitos e afligir os confortáveis. Façam isso.”

Os episódios podem ser acessados gratuitamente nas plataformas do PodBean, Spotify, iTunes, YouTube, SoundCloud e em outros aplicativos de podcasts para celular.