‘New York Times’ introduz realidade aumentada às suas reportagens

O jornal americano “New York Times” divulgou nesta segunda-feira (5) sua primeira reportagem com uso de realidade aumentada (AR, na sigla em inglês), que traz para o leitor uma perspectiva tridimensional sobre as técnicas de quatro atletas que competirão nas Olimpíadas de Inverno de 2018, em PyeongChang, na Coreia do Sul.

A estratégia já havia sido anunciada na semana passada, em artigo no qual o jornal prometeu extrapolar os limites das telas dos dispositivos digitais para “levar as notícias para dentro de casa”.

O texto propõe a expansão do jornalismo para as três dimensões, ressaltando que permitir que o leitor enxergue os objetos das reportagens sob diferentes perspectivas possibilita novas formas de storytelling que não eram exploradas com o uso da fotografia e do vídeo.

Exemplo de experiência de realidade aumentada do jornal ‘NYT’ (Reprodução/New York Times)

“É um novo caminho que substitui a percepção abstrata dos objetos e permite uma sensação mais visceral de escala e de realidade”, diz o artigo. “Quer ver melhor uma escultura? Basta andar em volta dela.”

O leitor que visualiza a matéria pelo celular consegue observar, através da câmera do aparelho, imagens do patinador artístico Nathan Chen, do patinador de velocidade J.R. Celski, da goleira de hóquei Alex Rigsby e da snowboarder Anna Gasser por diferentes ângulos, como se eles estivessem fisicamente na sua frente.

Para orientar os usuários, o jornal laçou também um guia da nova ferramenta, que pode ser consultado aqui.

Até o momento, a experiência de realidade aumentada está disponível na versão mais recente do aplicativo do ‘NYT’ para iOS. Segundo o jornal, a versão para Android deve ser lançada em breve.