Universidade de Columbia realiza curso de jornalismo investigativo na Colômbia

Por treinamento

A Universidade de Columbia, em parceria com a Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Iberoamericano (FNPI), está promovendo um curso de jornalismo investigativo na América Latina em Catargena, na Colômbia.

O treinamento, ministrado por especialistas e professores de ambas as instituições, focará na investigação de corrupção transfronteiriça, abordando técnicas para criar hipóteses de trabalho e para executar e administrar projetos de coberturas investigativas, dentre outros assuntos.

Ministrado em espanhol, o curso é aberto a jornalistas iberoamericanos que trabalhem em veículos de notícias e tenham pleno domínio da língua. Também é recomendado que os candidatos tenham vasta experiência profissional, inclusive em jornalismo investigativo. Professores universitários envolvidos com o tema também podem se candidatar.

Biblioteca da Universidade de Columbia, em Nova York (Divulgação/Columbia)

“Foi um curso que mudou meu jeito de trabalhar, me trouxe ferramentas práticas que eu passei a usar intensamente para aprimorar minhas apurações”, diz Flávio Ferreira, repórter da editoria de Poder da Folha, que participou da primeira edição em março deste ano.

Um dos exercícios propostos no curso, conta Flávio, acabou sendo o embrião do Investiga Lava Jato, projeto de jornalismo colaborativo voltado para a cobertura integrada do escândalo de corrupção.

Com duração de duas semanas, o programa acontece entre 5 e 16 de março de 2018. O custo é de US$ 3,5 mil (R$ 11.340), sem considerar os gastos de viagem, locomoção e alimentação no país.

As inscrições para as 20 vagas disponíveis vão até 19 de janeiro de 2018.