Livro de jornalista credita impeachment de Dilma a desprezo por lições de Maquiavel

Por treinamento

O jornalista Ricardo Westin acaba de lançar um livro sobre o impeachment de Dilma Rousseff, cerca de um ano após o afastamento da ex-presidente do cargo.

Em “A queda de Dilma —os bastidores do impeachment da presidente que desprezou as lições políticas de Maquiavel” (Universo dos Livros), o jornalista e cientista político analisa a derrocada da presidente à luz dos ensinamentos de Maquiavel no livro “O Príncipe”, publicado há cerca de 500 anos.

Segundo Westin, um dos mandamentos desprezados por Dilma foi o de provocar medo nos aliados. “Nas eleições para a Câmara dos Deputados, Dilma ameaçou parlamentares que não votassem em seu candidato, Arlindo Chinaglia. Após a vitória de Eduardo Cunha, em vez de cumprir as promessas, ela fez vista grossa e não puniu ninguém. Eles acharam que valia a pena trair novamente”, diz Westin.

Entre outros casos, Dilma também teria quebrado o ensinamento de ter bons conselheiros ao desconsiderar as opiniões de Lula durante seu mandato.

Para o jornalista, “conspiradores” se aproveitaram dos erros da então presidente para aprovar o impeachment. “Não foi nem golpe nem puramente técnico. Foi um pouco de cada.”

Ex-trainee da Folha, Westin passou pela Redação dos jornais “O Globo” e “O Estado de S. Paulo”. Atualmente, é editor do “Jornal do Senado”, em Brasília. Também é autor do livro “Arquivo S — o Senado na história do Brasil”.

A QUEDA DE DILMA
QUANTO: R$ 39,90 (192 PÁGS.)
AUTOR: RICARDO WESTIN
EDITORA: UNIVERSO DOS LIVROS