Empresa coloca jornalista para mediar conversas entre apoiadoras de Trump e Hillary

Por treinamento

Com a mediação de um jornalista, um grupo de mulheres da Califórnia (EUA), eleitoras de Hillary Clinton, manteve diálogos sobre política com apoiadoras de Donald Trump do Alabama, ao longo de dois meses.

Os debates, que aconteceram nas redes sociais, foram realizados pela Spaceship Media, empresa cujo objetivo é usar ferramentas jornalísticas para promover conversas entre pessoas de ideologias opostas.

Participantes dos debates promovidos pela Spaceship Media (Fotos: Divulgação)

Imigração, aborto e assistência médica foram alguns dos assuntos tratados durante o período. Temas mais leves, como hábitos de leitura de jornais, relacionamentos e tradições culturais, também foram tópicos de discussão.

Segundo os jornalistas Jeremy Hay e Eve Pearlman, criadores da iniciativa, apesar de algumas mulheres terem desistido pelo caminho, a maior parte delas conseguiu encontrar pontos em comum.

Quando dúvidas surgiram sobre algum tema, Hay, que atuou como moderador, foi responsável por esclarecer as cerca de 50 participantes com dados e informações confiáveis.

Uma das dúvidas respondidas foi sobre o Obamacare. Em meio a um diálogo, o jornalista esclareceu que moradores do Alabama pagam mais pela assistência de saúde do que os californianos, um dos motivos porque grande parte dos habitantes do Estado não aprova o programa.

Após o fim do projeto, algumas das participantes criaram um grupo no Facebook, onde continuam debatendo temas levantados durante as conversas e também discutem sobre livros.