Agência Reuters define regras para cobrir governo americano na era Trump

Por treinamento

A agência de notícias Reuters definiu, em comunicado aos seus funcionários, a forma como deverá conduzir sua cobertura jornalística sobre o governo dos Estados Unidos a partir de 2017, com a ascensão de Donald Trump à presidência.

A recomendação é simples: seguir as mesmas diretrizes que guiam o trabalho da agência ao tratar de outros temas em qualquer lugar do mundo.

reuters

A agência destacou a hostilidade que Trump tem demonstrado em relação à imprensa, mas frisou o fato de já operar em países onde jornalistas não são bem-vindos e vivem sob constante ataque.

Veja a seguir a lista de regras enviada aos funcionários.

FAÇA

– Cubra coisas que importem nas vidas das pessoas e forneça os fatos de que elas precisam para tomar as melhores decisões;

– Torne-se cada vez mais versátil: se uma porta para a informação se fechar, abra outra;

– Desista de comunicados e se preocupe menos com acesso oficial. Nossa cobertura no Irã tem sido excelente, e virtualmente não temos nenhum acesso oficial. O que temos são fontes;

– Saia pelo país e descubra como as pessoas vivem, o que pensam, o que as ajuda e prejudica, e também suas opiniões sobre as ações do governo, e não as nossas;

– Mantenha os Princípios de Confiança da Thomson Reuters à mão, lembrando que “a integridade, independência e a ausência de viés da agência devem ser preservadas todo o tempo”.

NÃO FAÇA

– Nunca se intimide, mas:

– Não entre em lutas desnecessárias nem escreva histórias sobre elas;

– Não desabafe publicamente sobre frustrações diárias compreensíveis. Em outros países, produzimos reportagens sem suspeita de animosidades pessoais. Precisamos fazer o mesmo nos EUA;

– Não tenha uma visão pessimista demais do meio jornalístico: esta é uma chance de praticarmos habilidades aprendidas em ambientes muito mais difíceis pelo mundo e de darmos o exemplo para outros veículos.