Com nova ferramenta, Reuters quer agilizar descoberta de notícias e aumentar transparência

Por treinamento

A agência de notícias britânica Reuters anunciou o lançamento de uma ferramenta para detectar no Twitter os primeiros indícios de acontecimentos de grande escopo, como ataques terroristas e desastres naturais.

O Reuters News Tracer, como é chamado, também atua na checagem de notícias. Após encontrar sinais de uma pauta relevante, o programa a submete a um teste de qualidade.

stephenjadler
O presidente e editor-chefe da Reuters, Stephen J. Adler (Foto: Divulgação)

“Ele checa se a informação foi dada por contas de Twitter verificadas, quantos seguidores elas têm, qual o nível de proliferação, o histórico dos tuítes, quantas pessoas retuitaram e se o fizeram usando expressões positivas ou negativas”, diz o presidente e editor-chefe da Reuters, Stephen J. Adler, em entrevista ao site de notícias de marketing e publicidade “The Drum”.

O programa ficou em desenvolvimento por dois anos e, segundo a Reuters, já está sendo usado em Redações internacionais da empresa. Adler diz que a agência deve utilizar o projeto para tornar mais transparentes seus métodos de coleta de informações. O objetivo é apresentar aos clientes e leitores mais detalhes sobre as fontes usadas e permitir que eles façam perguntas aos repórteres.

Outra prioridade, de acordo com o presidente, será corrigir erros com maior rapidez. “Você deve dar retorno às pessoas quando elas dizem que cometeu um erro. Às vezes você chama o presidente de uma organização e diz ‘ei, nós fizemos besteira, e é assim que vamos corrigir’. Quanto mais ético for o comportamento, mais seremos confiáveis”

Segundo o “The Drum”, 60% da renda da Reuters vem de clientes ligados ao mercado financeiro, que demandam informações diretas e precisas. “Eles precisam que [as informações] sejam confiáveis porque vão fazer investimentos com base nelas. Se os fatos estiverem errados, vão perder muito dinheiro”, diz Adler.