Programa da Folha para maiores de 40 tem 1.100 inscritos

Por treinamento

Ricardo Alves Bastos, 64, aposentou-se como vice-presidente da Johnson & Johnson, é fazendeiro, estuda arqueologia na USP e está interessado em crescimento intelectual.

Marília Emura, 47, física, dona de uma empresa de instrumentos de medição de campo magnético, quer conhecer a área de humanas.

Os dois estão entre os mais de 1.100 candidatos já inscritos para o Programa Trainee Sênior da Folha, voltado para quem tem mais de 40 anos.

treinamento_video

Estão concorrendo às dez vagas de “trainee experiente” profissionais das mais diversas áreas: medicina, direito, ciências sociais, estatística, artes cênicas, engenharia, filosofia… e jornalismo.

O jornalista Rogério Viduedo, 46, acabou desenvolvendo uma carreira voltada principalmente à comunicação corporativa.

Agora quer retomar os planos que tinha na faculdade, a PUC: “Tudo o que eu queria era trabalhar em Redação de jornal”.

Já a física Marília Emura não busca uma mudança radical de profissão, ainda que não descarte essa possibilidade.

Com graduação, mestrado e doutorado pela USP, diz acreditar que, depois dos 40, as pessoas veem o mundo de outra forma: “Quero conhecer esse lado das humanas porque sempre trabalhei com exatas”.

A pedagoga Iris Cristina de Lima, 43, conta que se inscreveu porque tem dificuldade nas provas de redação em sua busca por um emprego. “Quem escreve melhor tem mais oportunidades”, afirma ela, que já atuou nas áreas de educação e administração.

A ideia de conhecer articulistas que admira e ter contato com a rotina de uma Redação foi o que atraiu o executivo Ricardo Bastos, que hoje administra sua fazenda, onde produz café para exportação. Matriculado como aluno especial em arqueologia na USP, tem interesse em escrever sobre esse tema e muitos outros.

“Sempre tive pretensões intelectuais. A vida é muito curta para falarmos obviedades”, afirma.

O Programa Trainee Sênior pretende atrair pessoas que, com experiência e formação superior em qualquer área do conhecimento, tenham interesse em aprender técnicas de jornalismo para mudar de carreira ou para colaborar com veículos de imprensa.

O programa, que é gratuito, inclui exercícios de reportagem, palestras com jornalistas da Redação e a elaboração de um projeto final.

Começa em outubro e tem duração de dois meses, com aulas em três noites por semana e em três sábados.

Os candidatos, além da idade mínima de 40 anos, precisam ter curso superior e domínio da língua inglesa.

A seleção envolve provas de conhecimentos gerais, dinâmicas de grupo e entrevistas individuais.

As inscrições estão abertas até 7 de setembro, no site treinamento.folha.com.br/programadetrainee/.

O Programa de Treinamento em Jornalismo Diário tem patrocínio da Odebrecht, da Philip Morris e da Friboi.