Jornalista da Folha lança livro sobre como fotografia digital ‘acelerou o tempo’

Por treinamento

Fotógrafo da Folha desde 1997, Alan Marques diz se sentir em “um mundo mais rápido e mais dinâmico devido à fotografia digital”. Ele aborda o tema no livro “A Máquina de Acelerar o Tempo: Conversas sobre Fotojornalismo Contemporâneo”.

Ao relacionar conceitos do fotojornalismo com a Teoria da Relatividade criada por Albert Einstein, Marques faz uma reflexão sobre “a medição própria do tempo que cerca cada observador”. A obra é fruto de seu mestrado na Universidade de Brasília.

O livro está dividido em cinco capítulos. Em um deles, o autor entrevista 20 fotógrafos e mostra 20 fotos para discutir como a mudança da fotografia analógica para a digital impactou o trabalho de fotojornalistas. Alguns dos entrevistados são Juca Varella, Diego Padgurschi e Fabio Pozzebom.

Foi a partir dessas conversas que surgiu a ideia de relacionar o conceito de Einstein ao ofício de fotógrafo. “A Teoria da Relatividade me pareceu um caminho para identificar os índices dessa aceleração”, afirma Marques. “É possível dizer que a máquina digital tenha realmente agitado o relógio interno dos repórteres fotográficos.”

O livro está em pré-venda no site da editora Appris. Em julho estará disponível na Livraria Cultura e na Amazon.

O ex-presidente Lula, recém-eleito em 2002, sobe a rampa do Planalto para receber a faixa (Foto: Alan Marques)

A MÁQUINA DE ACELERAR O TEMPO: CONVERSAS SOBRE FOTOJORNALISMO CONTEMPORÂNEO
AUTOR: Alan Marques
EDITORA: Appris
QUANTO: R$ 54 (320 págs.)