Jornalista da Folha lança livro com história pessoal para ‘construir outra visão’ sobre deficientes

Por treinamento

Jairo Marques se irritou com as questões dos colegas durante um jantar com jornalistas que participavam da cobertura de um caso político. “Perguntavam por que eu estava lá me expondo, por que não escolhia algo mais tranquilo, por que não virava redator.”

O jornalista e colunista da Folha, cadeirante desde jovem por causa da poliomielite, detesta esse tipo de questionamento. Diz odiar quando “os outros acham que sabem o que é melhor” para ele.

O jornalista Jairo Marques reuniu em livro histórias de sua carreira e vida pessoal (Foto: Sergio Lima/Folhapress)

O episódio acima é um dos casos narrados em seu livro “Malacabado – A história de um jornalista sobre rodas”, que será lançado no próximo dia 28.

“A ideia é provocar uma reflexão sobre o modo como eu e outros deficientes são vistos. É uma tentativa de construir uma visão diferente de um cara de cadeira de rodas.”

O termo que batiza o livro, “malacabado”, é uma das palavras usadas por Jairo para “criar um mal estar inicial”. Ele é contra o uso de eufemismos como “pessoas especiais”. “Se eu fosse especial não teria que esperar horas a mais que os outros para sair do avião”, afirma.

Além de histórias relacionadas à sua vida profissional, o livro reúne situações de cunho íntimo, como casos amorosos e da infância.

O lançamento será às 18h30 nesta terça-feira (28), em São Paulo (SP), na Livraria Martins Fontes (av. Paulista, 509). O evento é aberto ao público.