Novo em Folha

Programa de Treinamento

 -

O blog é uma extensão do Programa de Treinamento em Jornalismo da Folha. É produzido pela equipe da Editoria de Treinamento, pelos trainees e por outros colaboradores da Redação da Folha.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Há muitos erros em títulos de reportagens, diz Pasquale; veja dicas

Por treinamento

O que deveria ser a parte mais clara do material jornalístico frequentemente é a mais confusa. Essa foi a conclusão do professor de português Pasquale Cipro Neto após analisar textos da Folha e do UOL.

A gente escreve os títulos numa língua, e os textos, em outra: em folhês”, brinca o colunista da Folha, em palestra para a Redação nesta quarta (4).

Pasquale lembra que, para manter títulos curtos e sem artigos, os jornalistas às vezes sacrificam a gramática e prejudicam o entendimento do leitor.

Professor Pasquale Cipro Neto em evento em 2014 (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Professor Pasquale Cipro Neto em evento sobre a Copa do Mundo em 2014 (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Entre os problemas apresentados, os mais recorrentes são as ambiguidades resultantes da ordem confusa dos termos da oração.

Para o professor, as versões digitais das reportagens apresentam mais problemas do que as impressas.

Veja alguns erros selecionados pelo professor e suas correções:

Desordem

É importante se certificar de que a ordem dos termos na frase é a mais clara e a que dá o sentido desejado ao texto.

Cunha acelerará trâmite na Câmara do impeachment – Parece que há uma Câmara do Impeachment, mas não há.
Correção:
Cunha acelerará trâmite do impeachment na Câmara

Britânico confessa assassinato da sogra durante oração – Parece que ele matou a sogra na missa, mas apenas confessou lá.
Correção: Durante oração, britânico confessa assassinato da sogra

Coreia do Norte diz ter miniaturizado ogivas nucleares para caber em mísseis – Parece que é a Coreia que deveria caber nos mísseis.
Correção: já que “ogivas” não é sujeito da oração principal, o correto, e que soluciona a ambiguidade, é usar “caberem”. Coreia do Norte diz ter miniaturizado ogivas nucleares para caberem em mísseis

Às vezes a melhor ordem não é a direta:

Madonna diz que durante evento ainda ama Sean Penn – Começar a oração com sujeito nem sempre é a melhor opção.
Correção: Durante evento, Madonna diz que ainda ama Sean Penn

Regência

A preposição “a”, por ter apenas um toque, acaba sendo uma grande vilã nos casos de erro de regência. No uso da expressão “racismo a”, por exemplo, atropela-se o português para economizar cinco toques, já que o certo é “racismo contra”. Em outros casos, a preposição errada no lugar errado pode mudar o sentido do texto:

Romário se encontra com Maradona e pede prisão a corruptos do futebol – Parece que Romário pediu sua prisão aos corruptos do futebol.
Correção: a preposição “de” daria o sentido desejado. Romário se encontra com Maradona e pede prisão de corruptos do futebol

A ONU decidiu solicitar o envio de tropas ao Brasil Parece que serão enviadas tropas ao Brasil, quando, na verdade, é o Brasil que deverá enviar tropas. Como “solicitar” e “envio” são regidos pela preposição “a”, é preciso atentar para a ordem dos termos.
Correção: ONU decidiu solicitar ao Brasil o envio de tropas

Artigos

Quando se internaliza a regra de que títulos não devem conter artigos, pode-se cometer erro.

Após flagrar traição de mulher, taxista morre em troca de tiros com rival Sem o artigo “a” em “de mulher”, parece que foi a traição de uma mulher qualquer.
Correção: Após flagrar traição da mulher, taxista morre em troca de tiros com rival

Repetições

Às vezes repetir palavras pode parecer “feio”, mas é vital para manter o sentido do texto.

País sabe que escraviza, mas não a gravidade do problema, diz pesquisa – O sentido de “saber” deveria estar nas duas orações, mas o leitor não consegue fazer o pulo de uma oração para outra.
Correção: País sabe que escraviza, mas não conhece a gravidade do problema

Botafogo supera “gramado careca”, ABC e se consagra campeão da Série B – Parece que consagrar-se campeão foi um dos desafios superados pelo Botafogo.
Correção: Botafogo supera “gramado careca” e ABC, e se consagra campeão da Série B

Conectivo

Um erro comum tem sido o uso do “mas” ou “embora” entre ideias que não se contrapõem.

Áustria faz gol de mão contra seleção, mas juiz anula – Estranho seria se não anulasse.
Correção: Áustria faz gol de mão contra seleção e juiz anula

Possessivo

O uso do pronome possessivo sem explicações adicionais pode confundir o que é de quem.

Jô Soares constrange Jacaré ao falar sobre o tamanho de seu pênis
Correção: Ao falar sobre o pênis de Jacaré, Jô Soares cria constrangimento

Outras vezes o pronome é desnecessário:

Diretor morreu em sua casa
Correção: Diretor morreu em casa

De forma”

Abusa-se da expressão “de forma”, às vezes desnecessária, às vezes substituível por um advérbio terminado em “mente”.

Conquistou o campeonato de forma invicta
Correção: Conquistou invicto o campeonato.

Blogs da Folha