Campanha pede que mídia cubra mulheres e homens esportistas da mesma maneira

Por treinamento

“Você tem vários fãs aqui. Muitos deles são homens e querem saber: se você pudesse ter um encontro com qualquer pessoa do mundo do esporte ou do cinema, com quem seria?” Essa foi a pergunta que a jogadora de tênis Eugenie Bouchard, canadense com então 19 anos, ouviu quando derrotou a ex-número 1 do mundo Ana Ivanovic, em 2014.

A mesma jogadora, em outra entrevista, recebeu o seguinte pedido: “Dê um giro! Conte sobre suas roupas!”

É possível ver outras perguntas e comentários que seguem a mesma linha no site da campanha #CoverTheAthlete, que pede igualdade na cobertura de esportes.

“Comentário sexista, perguntas inadequadas e artigos voltados para a aparência física não só banalizam as realizações de uma mulher, mas também enviam uma mensagem de que seu valor é baseado na aparência, e não em sua habilidade.”

Para demonstrar a diferença de cobertura, há um vídeo em que atletas homens ouvem as mesmas perguntas que mulheres já receberam. Segundo a colunista Mariana Lajolo, da Folha, “as perguntas (infelizmente) não foram realmente feitas aos homens. Os organizadores da campanha editaram o vídeo juntando questões já formuladas às mulheres a reações dos atletas em algumas entrevistas”.

No site ainda é possível cobrar a mídia, pelo Twitter, com uma ferramenta que preenche automaticamente com a mensagem: “Quando você entrevistar uma atleta mulher, nós queremos que você cubra sua performance e habilidade.”