Fotógrafo israelense vem ao Brasil para documentar o ‘não Brasil’

Por treinamento
Por Stefano Maccarini

Com uma coleção de ensaios internacionais —em países como Azerbaijão, Etiópia e Rússia— e prêmios de fotojornalismo, o fotógrafo israelense Tomer Ifrah volta seu olhar para a paisagem urbana brasileira.

Após uma temporada no Rio, ele chega a São Paulo para registrar seus “Uncurrent Events” —projeto que ainda vai a Brasília em busca de imagens do “não Brasil”, sem os símbolos historicamente associados ao país, como o Carnaval e o futebol.

Ifrah apresentou as primeiras imagens desse trabalho, feitas na capital fluminense, na quinta (8), em palestra no Centro de Pesquisa e Formação do SESC, em São Paulo. “Escolhi o Brasil por curiosidade, por ter ouvido histórias interessantes de amigos e também por causa de eventos como a Copa do Mundo.”

X

Todo o seu trabalho é realizado com filme fotográfico, colorido ou preto e branco. Para ele, esse método impõe ao fotógrafo um momento de reflexão sobre a imagem e o assunto antes de fazer a foto, além de garantir uma qualidade estética superior. “Ainda que você tire mil fotos digitais e apenas uma analógica, é mais provável que a analógica fique melhor”, diz.

Ifrah se inspira no trabalho de Stephen Shore, fotógrafo americano pioneiro no uso da cor na fotografia documental, nos anos 1970. Seu objetivo é documentar os momentos simples do cotidiano. “Uma imagem não pode mudar o mundo, mas pode, sim, trazer um assunto à tona”, afirmou.

Ifrah está postando algumas fotos de seu projeto no Brasil no Instagram; confira.