Por trás do novo visual do site do “The New York Times”

Por paula

O site do jornal “The New York Times” começou o ano de 2014 de cara nova: em 8 de janeiro deste ano, o NYTimes.com foi ao ar com uma aparência mais moderna e com novas formas de navegação, revelando a primeira grande reformulação desde 2006.

Veja linha do tempo das mudanças da página inicial do NYT desde 1996

As mudanças visuais foram sutis, mas suficientes para deixar o layout mais leve: manteve-se o característico fundo branco, com o logo do “New York Times” centralizado no topo da página, mas as imagens, vídeos e elementos interativos agora têm mais destaque. Graças ao design responsivo, o conteúdo terá a mesma identidade visual se acessado do computador, tablet ou celular.

Buscando uma maior interação do leitor com a notícia, as funções de comentários e compartilhamento foram otimizadas. Além disso, os internautas podem personalizar a homepage e as seções de acordo com seus interesses e ver apenas os assuntos que escolherem.

Mudanças como estas exigem uma série de alterações no funcionamento do site e na forma que os jornalistas e profissionais publicam o conteúdo on-line do outro lado da notícia. Para tornar o novo site possível, o “The New York Times” criou o Scoop, uma plataforma de publicação feita sob medida, elaborada para que os profissionais consigam trabalhar juntos e ao mesmo tempo.

Em seu blog, o diretor da área digital do jornal, Lucas Vnenchak, abriu o jogo e descreveu detalhadamente o funcionamento do NYTimes.com e como o jornal espera continuar a desenvolver o site no futuro.

Segundo Vnenchak, o Scoop foi  inicialmente desenvolvido em 2008, em estreita parceria com a redação do jornal. A ferramenta funciona em fluxos de trabalho: simultaneamente, o repórter escreve o texto, o editor de texto delega um título e faz o resumo, o editor de fotos seleciona as imagens e um produtor organiza e publica as versões para o impresso, online e  dispositivos móveis.

Não é todo dia que surge a chance de se conhecer os bastidores do “The New York Times”, que tornou-se referência na área digital depois de desenvolver projetos pioneiros como a montagem de uma estratégia bem sucedida de paywall e na elaboração de materiais multimídia, como  “Snowfall” e o “Tomato Can Blues”.

Já pensando no futuro do jornal, o Vnenchak já dita o próximo passo para o “The New York Times”: implantar o conceito de “Digital First”, um projeto de vários anos que visa tornar o Scoop o principal publicador para veículos impressos e digitais até 2015.