A lição das ruas

Por aballes

Por David de Lucena, trainee da turma 56

 

 

Segunda-feira, 15h30. Saio para a Câmara Municipal de São Paulo com uma missão: entrevistar um vereador sobre um projeto de lei de sua autoria e entregar uma reportagem sobre aquela proposta até as 17h.

 

No caminho, o telefone toca. “Ele não irá à Câmara hoje”, me informa o assessor de imprensa.

 

Lição nº 1: salvo exceções, parlamentares não são fáceis de ser encontrados. O que me leva à segunda lição do dia: não desistir da pauta.

 

Continuamos, eu e minha colega, para o parlamento municipal. Somos recebidos pelo chefe de gabinete do vereador, que faz uma ligação.

 

“Ele está a caminho e chega já”, diz, ao anunciar tacitamente nossa terceira lição do dia: assessores de imprensa podem lhe ajudar muito, mas a maior missão deles é proteger a imagem dos seus assessorados.

 

Olho no relógio. O tempo passa e o vereador parece não chegar nunca. Penso que talvez o assessor de imprensa estivesse certo.

 

Finalmente, o parlamentar entra no gabinete. Estamos com o horário apertado, mas ele decide atender uma autoridade antes. “Estamos perdendo tempo”, pensei.

 

Os dois conversam na nossa frente sobre um assunto que pode render matéria e me ensinam mais uma lição (estamos na quarta?): lugar de repórter é na rua. É lá (e não no Facebook!) que, enquanto cumpre uma pauta, você se depara com outras.

 

Conversamos com o vereador e voltamos, às pressas, para a redação. Cabe mais uma lição? Então lá vai a de nº 5: perto do horário do fechamento, não perca tempo. Em vez de deixar pra compor a matéria na redação, escreva de onde estiver. No meu caso, meu celular havia descarregado (smartphones são úteis para redigir textos e mandar por e-mail) e escrevi a reportagem no bloquinho mesmo.

 

Chego depois das 17h e entrego o texto atrasado. Em jornal, missão cumprida com atraso é missão não cumprida. Por sorte, era apenas um exercício interno. Mas poderia não ter sido. O que nos traz à lição final (por ora!): não deixe para escrever na última hora. Adiante seus textos à medida que for conseguindo informações e apenas consolide a matéria ao final de tudo.

 

Eu não sou ninguém para dar lições de jornalismo, mas a rua é sábia e tem muito pra lhe ensinar. Enfrente-a.