Para entender mais que direito

Por aballes

 Por Roberto Szatmari, trainee da turma 55

O curso de direito marcou a minha turma e já foi tema de alguns posts aqui no blog. Para mim, duas das lições mais importantes não foram propriamente de direito, mas para o jornalismo de modo geral.

 

* A matéria não acaba depois de publicada. Um dos exercícios que fizemos foi o de acompanhar crimes que foram noticiados há um, dois anos e depois caíram no esquecimento. Em alguns casos, a situação tinha se revertido completamente: condenados tinham sido absolvidos em outra instância, ou absolvidos acabaram presos por outro crime logo depois. Às vezes absolutamente nada havia acontecido desde a abertura do processo, o que também é notícia.

 

* O jornalismo se faz nas relações humanas. Isso inclui não se deixar intimidar em conversas com autoridades, mas também inclui valorizar e sempre agradecer as nossas fontes. Especialmente no trabalho jurídico, a fonte costuma gastar tempo pesquisando casos, encontrando processos e explicando assuntos densos. Por mais corrido que seja o ritmo na redação, sempre vale a pena tomar alguns minutos para ligar agradecendo a ajuda –facilita um contato futuro e é o mínimo da boa convivência.