Novo em Folha

Programa de Treinamento

 -

O blog é uma extensão do Programa de Treinamento em Jornalismo da Folha. É produzido pela equipe da Editoria de Treinamento, pelos trainees e por outros colaboradores da Redação da Folha.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Das vantagens de ser um jornalista iniciante

Por Cristina Moreno de Castro

A leitora Juliana, de Beagá, pediu um post sobre as vantagens de ser um jornalista estagiário ou recém-formado — enfim, um iniciante.

Consegui pensar em algumas:

  1. Temos mais entusiasmo, porque tudo parece um desafio novo e excitante.
  2. Temos um leque imenso de opções de mercado, justamente por ainda não termos bem definido uma área de atuação, editoria ou caderno — ou mesmo tipo de veículo em que queremos trabalhar.
  3. Por ainda não termos o item acima definido, é mais fácil trocar e experimentar as áreas e temas com mais frequência.
  4. Por podermos experimentar mais, esse é o momento em que, na prática, descobrimos nossos gostos e aptidões e podemos investir mais num rumo a tomar.
  5. Temos um “desconto” maior quando erramos. Afinal, todos sabem que estamos ainda aprendendo e que podemos aprender com os erros.
  6. Costumamos ser mais jovens e animados, mais dispostos a aprender novas habilidades e talvez até esse aprendizado seja mais fácil de acontecer nessa etapa da vida (por exemplo, é mais fácil aprender a editar vídeo nessa hora do que depois de vinte anos de impresso).
  7. Apesar de não termos muito conhecimento prático, ainda estamos com todas aquelas teorias e discussões acadêmicas fresquinhas na cabeça. E elas são úteis por trazer reflexões, que aos poucos vamos esquecendo de ter, na correria do dia a dia.
  8. Podemos (pra não dizer devemos) ser mais humildes, porque sabemos que ainda temos um loooongo caminho a trilhar. Humildes para assumir erros, pedir conselhos e ajuda ou grudar numa pessoa mais experiência, por exemplo. E isso tudo é muito bom pra uma profissão como a nossa e deveria nunca ser perdido, mesmo com a “velhice”.
  9. Ainda não adquirimos certos vícios da profissão e temos mais cuidado ao apurar tudo direitinhozinho, nos mínimos detalhes, ouvir todos os lados, transcrever as aspas do gravador etc. Do mesmo jeito que a prática forma (e nos torna mais ágeis, nos dá malícia etc), ela também deforma.
  10. Recém-formado costuma ter muita dificuldade de encontrar pautas, inclusive porque ainda não possui fontes. Mas, por outro lado, também costuma ter o olhar mais fresco para as pautas mais criativas, aquelas que dependem mais da observação. Isso tem a ver com o item acima, inclusive.
  11. O recém-formado ainda não entrou nas fofoquinhas de Redação, nem despertou invejinhas malas de qualquer ambiente de trabalho, nem gerou ou criou antipatia de alguém.
  12. E, quando vê o trabalho publicado, mesmo que seja só uma primeira notinha, se enche de orgulho e alegria. Vamos ficando maus autocríticos e exigentes com o tempo e nada se compara a essa satisfação de “lamber a cria” depois de publicada com o maior esforço, ainda mais na primeira vez 😀

E vocês, conseguem pensar em mais vantagens dessa etapa da vida?

Blogs da Folha

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Publicidade