Jornalismo visual

Por Paula Leite

O trainee Aurélio Araújo escreveu sobre algo que é muito importante no jornalismo e que a Folha valoriza muito: a infografia. Os trainees tiveram dois dias de aulas e conversas com os chefes da editoria de Arte. Leia a reflexão do Aurélio:

Na semana passada, tivemos palestras sobre infografia com Fabio Marra e Mario Kanno, respectivamente editor e editor-adjunto de Arte da Folha. Além disso, fizemos alguns exercícios para tentar pensar em maneiras de organizar a informação visualmente.

Um ponto que os editores nos apresentaram e deve ser ressaltado é: a infografia não é tão diferente assim de um texto. Ela não deve ser vista como algo menor. Pelo contrário, sua utilização é altamente enriquecedora: o que um texto precisaria de linhas e linhas para descrever, o infográfico descreve de maneira rápida e concisa, em menos espaço (e, no jornalismo, o espaço vale ouro). Fora o fato de que, muitas vezes, é mais divertido também!

O leitor quer informação. Não importa tanto assim se vamos apresentá-la por meio de um texto ou de um infográfico. Por isso, fomos estimulados pelo Marra e pelo Kanno a pensar sempre na parte visual da notícia. Temos que lembrar que não é sempre que o leitor vai ter o tempo ou a paciência necessários para mergulhar em nossos textos. Seria até arrogante de nossa parte.

Uma redação não pode funcionar como uma ‘produção em linha’, em que o fotógrafo só pensa na foto, o repórter só pensa no texto e o infografista só pensa no infográfico. Trabalhando juntos, pensando em como seria melhor apresentar aquela notícia, eles criam um produto mais completo para quem realmente importa, em toda essa equação: o leitor.

Obviamente, não é sempre que um infográfico pode substituir um texto. Há momentos em que o texto é mais necessário. Mas também há momentos em que a infografia, a charge ou a foto são mais importantes. Por isso, sempre devemos nos questionar se podemos apresentar a notícia de alguma outra forma. Qual é a melhor forma para que o leitor entenda o que estamos querendo dizer? Essa pergunta deve estar sempre presente no trabalho que estivermos fazendo.