Jornalismo e Direito

Por Paula Leite

Na semana passada os trainees da 53ª turma tiveram aulas de Direito com o Gustavo Romano (para quem não conhece, ótima oportunidade de acessar o site dele, Para Entender Direito). Os trainees também fizeram com o Gustavo algumas atividades, como fazer matérias sobre em que pé estão os julgamentos de gente acusada de crimes hediondos que foram noticiados pelo jornal.

As duplas de trainees escreveram textos sobre o que aprenderam nesta semana de imersão no Direito, que vamos publicar aqui. Começamos com o texto do Fernando Moraes e do Pedro Ivo Tomé:

Lidar com a burocracia não é tarefa fácil. Significa fazer incontáveis ligações para pessoas nem um pouco interessadas em ajudar; buscar processos em fóruns e não encontrá-los e, principalmente, defrontar-se com ritos e procedimentos, em geral, muito lentos.

Na nossa visão, começar a aprender a lidar com tudo isso constitui a principal lição da semana passada. Quando se cobre assuntos do judiciário temos, a todo momento, que lidar com toda essa burocracia e lentidão. Temos, portanto, de literalmente saber como driblá-los.

Naturalmente, as atividades semana passada não foram suficientes para aprendermos a realmente cobrir esses casos. De fato, elas mostraram como é complexo fazer esse tipo de cobertura.

Ficou clara a necessidade de dominar os termos técnicos para podermos argumentar com juízes e promotores; de conhecer as fases pelas quais passa um processo; e de todo o cuidado para atribuir às pessoas os termos exatos para os crimes dos quais elas são acusadas.