A pior profissão dos nossos tempos

Adivinhem quem ficou no final da fila entre 200 profissões avaliadas nos Estados Unidos pelo Career Cast?

Vou dar umas dicas: o ambiente de trabalho é abaixo da média, o nível de estresse é alto e o horizonte profissional é sombrio.

Pensou em repórter?

Acertou!

Reportagem é a pior profissão de nível superior a aparecer na lista. Pior que ela, só mesmo estas:

  • trabalhador em plataforma de petróleo (péssimo ambiente de trabalho e muito esforço físico)
  • soldado (péssimo ambiente de trabalho e estresse altíssimo)
  • produtor de leite (esforço físico alto, condições ambientais adversas e perspectivas econômicas declinantes)
  • lenhador (risco alto de acidentes, muito esforço físico)

Leia a matéria em português neste link.

É verdade que a situação americana é muuuuuuuito pior que a nossa.

Além do mais, olhando nossos companheiros de lanterna, uma coisa é preciso reconhecer: esta não é uma profissão para fracos! 🙂

ADENDO: só depois de publicar é que vi que a Cris tinha escrito sobre a mesma coisa aqui embaixo. O que acham os leitores? Será que a gente já está na situação da escova de dentes? Ela parece um pouco pessimista? E vocês, como se sentem?

Comentários

  1. Depois de tanta morte de jornalistas em zona de conflito [e de não conflito], de toda a discussão q está tendo no México nos últimos anos, onde colegas são assassinados de forma recorrente, acho que podemos classificar o jornalismo entre as piores profissões na categoria ‘arriscando o pescoço’. Alías, acho q na lista de ‘profissões mais perigosas do mundo’ o jornalismo está entre os primeiros colocados.

  2. Apesar da avaliação ter sido feita nos EUA, acho que também reflete a nossa realidade. Não é nada fácil ser repórter. É obvio, porém, que o mercado americano é muito mais competitivo que o nosso e se aquele vê a profissão de forma sombria, o nosso não fica atrás.

    Q triste! :/

  3. Sou trabalhador de plataforma (estou embarcado neste momento) e adoro meu trabalho. Realmente o ambiente oferece riscos, trabalho de 12 a 16 horas por dia e quero fazer isso até me aposentar. Claro que minha mulher e filho não acham tudo tão bonito assim como eu, mas fazer o que né?

    1. Marcelo, você, como o mais novo e competente vigilante dos números, tem mesmo que desconfiar. Mas, neste caso, eu acho, não é questão de desqualificar a lista, mas de comprá-la pelo que ela vale, ou seja, pelo fato de que as perspectivas do mercado de trabalho para jornalista nos EUA estão são sombrias que ele é hoje a menos promissora profissão de nível superior dentre as pesquisadas.

      1. Claro, entendo essa circunstância. O que eu quis dizer é o seguinte: nem por isso acho menos interessante a profissão. (Assim como não é pelo fato de o Ritchie Blackmore dificilmente aparecer bem cotado nas listas de melhores guitarristas que o Deep Purple cai na minha preferência.)

    1. Plinio, o ranking não se baseia em pesquisa de opinião. Na verdade, a posição ruim do jornalista de deve à perspectiva de contração das vagas nas Redações. Bjs

  4. Tem outro jeito de olhar esses resultados: a profissão de repórter está entre as 200 principais ocupações nos EUA : )

    (Detalhe desimportante: um espaço acabou se metendo no meio de ‘acertou’.)

    []s,

    Roberto Takata

Comments are closed.