Breve roteiro para ajudar a decidir

Namoro há quatro anos, mas me apaixonei por outro. Com quem eu fico?

Passei em duas faculdades, uma melhor num outro Estado, outra pior na minha cidade. Qual eu faço?

Fui chamada pra uma superbalada e tenho prova amanhã. Caio em tentação?

Estou no estágio mas fui selecionada para um curso de um mês nos Estados Unidos. Largo o trabalho?

Ou, como perguntou o Leandro ontem: vou para uma TV local em Mato Grosso ou fico em São Paulo, mas fora do jornalismo? (leia a história dele aqui)

Se identificou com os dilemas? Fique tranquilo, muitos outros ainda vão aparecer nasua vida.

E é claro que não há respostas fáceis nem multiuso.

Por que é tão difícil?

Porque escolhas implicam perdas e ganhos.

Para ajudar um pouquinho, dá para fazer o seguinte:

  1. faça  uma lista das opções. No caso do Leandro, por exemplo, algumas delas seriam: 1) repórter na TV em MS; 2) assessor em tal lugar; 3) montar uma empresa X; 4) tentar fazer frilas para grandes veículos; 5) pesquisador em SP
  2. liste os prós e contras de cada opção. Inclua tudo: currículo, salário, família, satisfação, gastos, amores, planos futuros etc.
  3. se ficar em dúvida em relação a algumas das vantagens ou desvantagens, tente conhecer melhor suas opções. Seria importante que o Leandro, que parece meio desconfiado em relação à empresa que quer contratá-lo, fosse até lá conhecer a TV e a equipe. Se possível, não tome decisões no escuro.
  4. compare os prós e contras com seus planos de vida, no curto e no longo prazo, e sinta qual das opções combina mais com eles

Ainda assim, você ficará inseguro, terá medo de pegar a estrada errada etc. É inevitável. Você sempre estará assumindo riscos e abrindo mão de vantagens. Mas pelo menos saberá melhor quais são eles.

Pensando nos passos acima e nas alternativas do Leandro (aceitar o emprego em MT ou ficar em SP fora do jornalismo), quais vocês acham que seriam os prós e contras?

Comentários

  1. Certa vez uma ex-estagiária minha me consultou com uma dúvida semelhante. Os prós e contras eram tão equivalentes que eu lasquei: “são duas coisas boas, qualquer uma vai te deixar bem; se a dúvida for grande, joga uma moeda pro alto e segue em frente no que der. Vai ser bom”.

  2. Começando pelas coisa ruins, os contras: 1.Essa qualidade duvidosa da TV e da equipe. Deve ser muito ruim trabalhar em um lugar em que não se preza por, pelo menos, tentar buscar o melhor, o alto padrão, a eficiência, enfim; 2.O local fica fora do status São Paulo-Rio-Brasília, que é tão visado em todas as profissões, quanto mais no jornalismo. E isso acontece porque de fato nesses lugares estão os melhores veículos; 3.O sentimento de frustração por ter precisado mudar de estado em função de não ter trabalhado na área durante a faculdade, o que comprova que, muitas vezes, não vale o esforço, eles querem os sortudos, mesmo.

    Agora, dando um tapa nos contras, os prós: 1.Você vai estar ganhando dinheiro e, pelo que parece, conseguirá pagar as contas, ter grana no bolso, que, né, super importante; 2.Você será repórter, que é um cargo legal dentro do jornalismo. Se a TV é duvidosa, faça o melhor e se torne o único sensato lá dentro. Porque até as emissoras famosonas contam com alguns funcionários pra lá de duvidosos, quanto mais uma menor, ainda aprendendo tudo; 3.A mudança pode ser muito boa e você sempre terá a possibilidade de voltar para São Paulo. Se tudo for horrível, estipule um prazo para guardar uma quantia X por mês e, na pior das hipóteses, ter essa grana no bolso.

    Mas é tão lindo e fácil pra mim dar dica, ainda mais por escrito. Eu tendo sempre a pensar pelo lado financeiro. Pese aquilo que é o mais importante. Se for pelo trabalho em sim, acho que você deve ir.

    Desejo realmente ótima sorte!! Um abraço.

Comments are closed.