Há lugar para os tímidos

Por Ana Estela de Sousa Pinto

Lembram-se da nossa colega que perguntou se ser tímida atrapalha a carreira em jornalismo? (neste post)

O legal da história que ela contou é que dava duas dimensões do problema.

A primeira é profissional: ficou claro que a timidez da moça não interferia em seu desempenho jornalístico. Ela nunca deixou de fazer uma pauta ou entrevistar uma fonte por causa do jeito mais introvertido. Portanto, não é um “defeito” profissional.

 A segunda dimensão é pessoal –e uma coisa que a gente às vezes demora para descobrir é que o trabalho tem sempre uma dimensão pessoal. Nas entrevistas de emprego, os editores escolhem aqueles em quem confiam mais, os que acham mais empolgados, mais motivados, e aqueles com quem têm mais empatia.

 Não acho que seja preciso falar pelos cotovelos. Mas vale apena encontrar o seu jeito, dentro da sua personalidade, de deixar bem claro sempre que você tem iniciativa, disposição, pique, que está ligada no trabalho.

 Não precisa ser nenhuma Lady Gaga, não. Pode continuar sendo Sandy!