São demais os perigos desta vida

 

 

 

 

 

 

 

A entrevista não é nova, mas o assunto continua atual e imagino que interesse a todo mundo que se importa com jornalismo.

É a primeira entrevista da repórter de TV americana Lara Long depois de ter sido atacada durante a cobertura da primavera árabe no Egito.

Não recomendada para quem é muito sensível, tá?

[A dica foi do nosso professor de direito, Gustavo RomanoJóia]
 

 

Comentários

  1. Ô Ana, eu vi essa entrevista há uns seis meses e pra mim é realmente impossível não cair no choro ao ouvir um relato tão pouco afetado, tão honesto e tão violento quanto esse. Há partes em que eu realmente não acredito que é uma mulher de verdade falando, que passou por isso. Vi esse vídeo tantas vezes que parece sádico – realmente eu fico mal de chorar toda vez – mas é que ele é ao mesmo tempo uma aula tão grande… que menina incrível essa aí. Agora, depois de ler e escrevendo, eu voltei ao post para ver qual era a dica. Dica nenhuma, é apenas pra ver. Todo mundo tem que ver mesmo. O clamor bem sensato, na medida, justinho pelo direito da mulher, a elegância em contar a história, e no começo – repare – não misturar as coisas (ela elogia e dá pra ver em seus olhos que ela realmente achou a festa linda) com a violência que ela sofreu depois… Essa entrevista… Vamo achar umas legendas, todo mundo tem que ver 🙂

    1. Joana, se achar com legendas, por favor, me avise. Não tinha mesmo uma dica. Acho que pensei mais em lembrar que há perigos na profissão, mas também que, mesmo quando o pior acontece, ainda é possível recuperar-se. Ana

Comments are closed.